Organizado pelas faculdades de Engenharia e Arquitetura da referida casa de estudos, o Mestrado em Construção Industrializada em Madeira (MCIMA) conta com uma equipe multidisciplinar de acadêmicos, focada na formação de profissionais que convergem na construção com o material, inovação e oportunidades para empreender com ele .

Com o objetivo de mudar paradigmas e criar um novo valor para a construção nacional, surgiu um programa acadêmico baseado na inovação e interdisciplinaridade em madeira. Estamos falando do novo Mestrado em Construção Industrializada em Madeira (MCIMA), organizado pela Universidade de Concepción (UdeC). Especificamente, para suas faculdades de Engenharia e Arquitetura, Urbanismo e Geografia. 

Essa complementaridade busca aliar a construção sustentável, criativa, contemporânea e de alto padrão com o material, considerando etapas de concepção, cálculo, projeto e planejamento, bem como no desenvolvimento de novas iniciativas e propostas de negócios em torno da construção em madeira industrializada.

Sob a formação de arquitetos, engenheiros e projetistas, com base na digitalização, sistematização e industrialização desse tipo de construção, a opção promete diferenciar-se pela aplicação de novos métodos e tecnologias com que as obras em madeira são erguidas. Suas expectativas são formar profissionais que logo se destaquem no ecossistema e consigam posicionar a matéria-prima em nível nacional e continental. 

“É preciso formar agentes de mudança capazes de criar iniciativas para modernizar o campo”, afirma o diretor do mestrado  /MCIMA

O seu diretor é o doutor em Engenharia Civil e académico da UdeC, Peter Dechent , que indica que a iniciativa responde a diferentes necessidades da nossa época. Atualmente, enfrentamos um cenário de déficit habitacional que deve combinar bem uma construção neutra em carbono até 2050, tanto em seu funcionamento quanto em materiais. Nisso, a madeira, como única que captura carbono, aparece como a principal candidata a encontrar uma solução. 

O seu crescimento natural, as suas características biodegradáveis ​​e os seus atributos térmicos, aliados à sua resistência, maleabilidade e rapidez na construção, colocam-no na vanguarda da tecnologia e da economia global, tornando-se a principal alternativa para responder à procura de uma construção mais sustentável . No entanto, Dechent afirma que a madeira não é capaz de resolver o desafio “por si só”, pois enfrentá-lo significa também promover um processo de transformação e modernização da construção tradicional.

“Para isso, é preciso formar agentes de mudança capazes de criar iniciativas para modernizar o setor e propor e implementar iniciativas e negócios com base na disciplina. O nosso programa vem responder a este desafio, formando graduados capazes de promover a adoção da construção em madeira industrializada como opção chave na transformação da indústria”, indica.   

Equipe de ensino e currículo

Seu programa inclui um estágio no Instituto de Construção em Madeira, Universidade de Ciências Aplicadas de Biberach (Alemanha) / Polomadera

O programa MCIMA tem um total de 72 semanas, com duração de seis trimestres. Destina-se a profissionais ligados à construção, arquitetura e design, bem como a acadêmicos interessados ​​na construção em madeira, na criação de novas empresas na área ou em instituições relacionadas às suas diretrizes. 

Sua equipe docente é oriunda de diferentes faculdades da Universidade Penquista, onde o critério de seleção foi a proximidade com esse tipo de construção, seja na pesquisa, na experiência profissional ou na capacidade de enfrentar desafios nessas matérias. É assim que se destacam arquitetos, engenheiros civis, engenheiros de madeira, engenheiros florestais, entre outros. 

“Diferentes atores estão envolvidos na construção em madeira industrializada, justamente por ser uma atividade multidisciplinar, que pode envolver desde a serraria até a montagem, passando por uma série de etapas intermediárias. Por isso, para ministrar o programa, é necessária uma equipe de professores com experiência em diferentes áreas do conhecimento, em grande parte pertencentes às Faculdades de Arquitetura e Engenharia da Universidade de Concepción, mas também das Ciências Florestais e pessoal para áreas específicas do conhecimento”, diz o diretor.

Nesta lógica, o seu plano de estudos foi concebido para formar graduados capazes de projetar, implementar e conceber soluções, bem como criar empreendimentos e negócios inovadores baseados nas aplicações e conceitos da construção em madeira industrializada. Portanto, essa experiência exige alguns requisitos de entrada, como possuir titulação acadêmica em disciplinas compatíveis com os objetivos do programa, apresentar duas cartas de recomendação escritas por professor, supervisor, empregador ou chefe, enviar seu currículo e, por fim, entregar uma declaração de propósito neste mestrado.  

Destaque no mercado e estágio internacional

O MCIMA é organizado pelas Faculdades de Engenharia e Arquitetura da Universidade de Concepción / Polomadera

Peter Dechent comenta que o mestrado se diferencia de outras alternativas ministradas em nível nacional, pela inclusão de uma abordagem multidisciplinar na qual convergem a construção em madeira industrializada, a inovação e o empreendedorismo. E também porque inclui um estágio opcional no Instituto de Construção em Madeira (Institut für Holzbau, IFH), da Universidade de Ciências Aplicadas de Biberach (Alemanha). 

Os alunos que optarem por frequentar farão parte da “Escola de Verão de Eficiência Energética em Construções de Madeira”, com duração de 10 dias. “No estágio, você pode visitar uma série de seminários sobre temas de ponta na construção em madeira, além de ter a oportunidade de conhecer e entender os processos produtivos de empresas que fabricam elementos com o material e com alto controle de qualidade”, Menções de Dechet. 

Para solicitar mais informações e fazer parte do processo de candidatura ao Mestrado em Construção Industrializada em Madeira, que tem início previsto para agosto deste ano, as informações devem ser enviadas para mcima@udec.cl . 


Escrito por Bárbara Orellana Rodríguez
Foto principal cortesia da revista Lampoon

Fonte: Madera21

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.