O projeto vencedor da nova Doca A do Aeroporto de Zurique será em grande parte construído em madeira.

O projeto visa estabelecer novos padrões em termos de edifícios de terminais sustentáveis.

A equipe vencedora do ‘Raumfachwerk’ é liderada pelo arquiteto Bjarke Ingels. Além de seu escritório de arquitetos, BIG, com sede em Copenhague/Nova York, a equipe inclui a HOK, com sede nos EUA, especializada em edifícios de aeroportos. Também na equipe está o arquiteto 10:8, de Zurique. Empresa de engenharia e consultoria Buro Happold e Pirmin Jung, uma empresa de engenharia suíça especializada em construção em madeira.

A construção do projeto vencedor, ‘Raumfachwerk’, deve começar em 2030. O investimento na nova Doca A, incluindo uma nova torre e base de doca, está estimado em cerca de CHF 700 milhões (£ 585 milhões).

Após mais de 35 anos em operação, o Dock A chegou ao fim de sua vida útil e precisa ser substituído. O júri de onze membros de uma variedade de campos, presidido pelo arquiteto baseado em Basileia Harry Gugger, escolheu o projeto Raumfachwerk – de dez inscrições. “O projeto ‘Raumfachwerk’ foi o mais impressionante, principalmente em termos de sustentabilidade, operações e aspectos econômicos, mas também em relação ao planejamento urbano e à arquitetura”, disse Andreas Schmid, presidente do conselho de administração do Flughafen Zürich.

O novo Dock A será construído em grande parte com madeira sustentável nos níveis de passageiros. Toda a superfície do telhado da nova doca e a base da doca serão usadas para energia fotovoltaica, cobrindo cerca de dois terços da necessidade anual de eletricidade da doca. O novo edifício dará assim uma grande contribuição para a estratégia de redução de CO 2 da Flughafen Zürich AG.

“Para a nova Doca A do Aeroporto de Zurique, tentamos enfrentar o complexo desafio global da redução de CO2 com a solução mais simples possível: uma estrutura espacial feita de madeira maciça que é estrutura, experiência espacial, projeto arquitetônico e princípio de organização, tudo em um”, disse Bjarke Ingels, fundador e diretor do BIG. “O design simples, mas expressivo – enraizado na tradição e comprometido com a inovação – incorpora os elementos culturais e naturais da arquitetura suíça.”

A atual Doca A permanecerá operacional durante a construção da nova Doca A, pois cerca de um terço de todos os passageiros partem ou chegam lá. Assim que o novo cais for construído ao norte do atual cais A, as operações serão transferidas para ele. O atual Dock A será então desmontado.

Fonte: The Construction Index

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.