_COVER CQE - CCGO-034

A Galeria Outdoor, localizada em um shopping center no setor leste da capital, foi indicada aos prêmios Chile Design 2021. A estrutura de mais de 200 m2, feita inteiramente de madeira de pinus, queria transferir calor para o interior da zona sul construções em espaços comerciais.

Em 2021, no Shopping Casacostanera, no bairro de Vitacura, foi inaugurada a Galeria ao ar livre. Um espaço comercial construído inteiramente em madeira, inspirado no sistema construtivo das antigas salas Magalhães, que promove uma ligação com a natureza assente numa estrutura natural e no profundo embelezamento estético com o material. 

O desenvolvimento deste trabalho esteve a cargo do CQ Estudio . Empresa dedicada ao design, arquitetura e assessoria para a criação deste tipo de espaço, com mais de 15 anos de experiência e carreira profissional, liderada pelos sócios Agustín Quiroga e Pedro Castro, com Francisco Goñi como arquiteto responsável.  

“O objetivo era poder criar uma atmosfera e experiência relacionada ao mundo das marcas outdoor, promovendo conceitos como sustentabilidade, conexão com a natureza e cuidado com o planeta. E para isso, trabalhamos em uma proposta que pudesse nos transportar para outro lugar, ao sul do nosso país. Para isso, tomamos a madeira como material principal de todo o projeto devido ao seu aconchego, versatilidade e capacidade construtiva, e desta forma conseguimos criar um refúgio, um galpão, uma sala onde este mundo e marcas outdoor pudessem coexistir ”, diz Goni. 

Com o objetivo de transportar o público para fora do contexto urbano, a Galeria Outdoor foi indicada aos prêmios Chile Design 2021, na categoria “Design de Ambientes e Espaços | Retalho”. 

Materialidade

A madeira de pinho foi utilizada para o revestimento perimetral e para a estrutura interior dos pilares / CQ Estudio

Como mencionamos, uma das principais razões pelas quais o CQ Estudio decidiu usar a madeira foi emular as antigas fazendas magalhãs implantadas no território sulista. Estruturas altas e volumosas, hoje principalmente vocacionadas para o turismo, que podem ser avistadas em viagens rodoviárias pela zona. 

Em seus primórdios, esse tipo de construção estava ligado principalmente à vida rural e à exploração de gado, especificamente, no campo produtivo de bovinos e ovinos. E embora existam alguns que seguem esse mesmo caminho, vários deles ultrapassaram esse limiar e agora fazem parte do patrimônio cultural e histórico da Região de Magalhães. 

“Acreditamos que, para cada projeto, deve reger um conceito que seja o núcleo que articula cada decisão tomada. Neste caso, optamos por evocar os quartos Magalhães, resgatando a sua essência construtiva e a sua qualidade de criar abrigo das intempéries. Com poucos materiais e utilizando-os de diferentes formas, é possível obter um resultado muito característico e reconhecível”, explica Francisco Goñi.

A partir dessa estrutura, trazer toda essa riqueza e raízes foi um desafio para o estúdio sediado em Santiago. E para alcançar uma identidade preponderante, para a Galeria Exterior foi utilizada madeira de pinho em bruto em diferentes dimensões, que após um exaustivo processo de análise e seleção das melhores peças, foi seca em câmara e transportada da X Região. 

Pinheiro “1×4” foi usado para o revestimento do perímetro, vigas de 5”x10” para construir a estrutura interna dos pilares e vigas de telhado de 2”x8” e 2”x10”. A única peça especial que mandamos fabricar foi a que montou o pórtico de acesso, que é uma peça sólida que teve que ser feita sob medida para poder incorporá-la”, especifica o diretor do projeto. 

Depois dessa etapa, eles conseguiram trabalhar no renomado shopping center da zona leste da capital. Para isso foram realizadas várias visitas ao local, onde reconheceram os espaços e projetaram tudo o que era necessário para recriar a atmosfera de aconchego que se vive no interior destas instâncias.  

Estrutura, técnicas e produtos

“O trabalho foi feito com tirantes e peças metalomecânicas, que foram feitas sob medida para o projeto”, conta Goñi /CQ Estudio

Se a equipa responsável pelo projeto tivesse que fazer uma declaração de princípios da Galeria Outdoor, seria identidade e raiz histórica desta zona do sul do país. “Resgatar uma identidade local, através de um sistema construtivo de antigas salas de Magalhães, onde o material, as juntas e as texturas desempenham um papel preponderante para nos transportar para fora do contexto urbano”, explicam do CQ. 

É assim que este projeto, comenta Francisco Goñi, “está estruturado através de uma circulação central, com maior altura e iluminação perimetral, que se distribui pelas lojas que estão no interior. É montada uma rede de pilares e vigas que compõem os espaços comerciais, e um alpendre de madeira maciça, que é o que faz a transição entre o exterior e a Galeria Exterior”.

E sobre as técnicas, produtos e ferramentas que adotaram, o profissional indica que “trabalhavam com tirantes e peças mecânicas metálicas, feitas sob medida para o projeto; dos banzos de ancoragem de cada um dos pilares que são ancorados à laje, bem como dos elementos de união entre cada uma das vigas que compõem a estrutura superior”. 

Seguir. “Toda a madeira foi tratada com um produto estabilizador de umidade, chamado Cutek, cujo fornecedor é a Woodarch. Isso nos permite, por um lado, melhorar a durabilidade e estabilidade da madeira às constantes mudanças causadas pelo clima e, por outro, a possibilidade de adicionar um corante. A cor selecionada é resultado de vários testes aplicados à obra. Procurou-se conseguir retirar o amarelo natural do pinho e levá-lo a um tom mais castanho acinzentado, para entregar a qualidade que procurávamos como conceito original”.

Agradecimentos

A galeria abriga várias marcas do mundo outdoor no Mall Casacostanera / CQ Estudio

Os mais de 200 m2 de madeira na Galeria ao ar livre, seu design, sua versatilidade de espaços e seu “retorno à natureza”, valeram sua respectiva indicação nos prêmios Chile Design 2021. Um reconhecimento que apreciam do estúdio chileno, dada a convicções a consequência com que trabalharam o trabalho, principalmente com a criação de novos espaços para o mundo do varejo a partir da expressão com madeira.    

“É um prêmio pelo bom trabalho, perseverança, inovação e, finalmente, bom design. Não só do ponto de vista ornamental, mas também como fator estratégico que agrega valor às empresas e marcas. Nesse sentido, o mais importante é que gere boas experiências. Nosso lema no CQ Estudio é que ‘desenhamos para as pessoas’ e, na medida em que o fizermos, poderemos melhorar sua qualidade de vida em qualquer contexto”, afirma o sócio Agustín Quiroga. 

Vale ressaltar que esta não é a primeira vez que o CQ Estudio é premiado por seus projetos. Em 2019, na Itália, foi premiado com o A’Design Award, na categoria “Event and Happening Design”, com a encenação projetada para o centenário da ME Elecmetal. Esta iniciativa também significou uma nomeação para os German Design Awards 2020.

O escritório tem outros projetos em sua história onde a madeira é protagonista, como os cases da loja Born , no shopping Parque Arauco, ou o design de interiores do Campus Bellavista da Universidade San Sebastián , entre outros. A isso se soma uma série de comissões de design, exposições e museografia geral, entre as quais se destacam a exposição interativa Nikola Tesla, intitulada “O futuro me pertence”, bem como o Mercado Urbano de Tobalaba e o Parque Arauco Peru. 

Hoje a Galeria Outdoor reúne vários operadores do mundo outdoor sob o conceito de micro-varejo, somado ao visual sustentável, ecológico e magalhânico que seus corredores promovem. Hoje é possível encontrar 10 lojas aderentes às suas diretrizes, relacionadas a esportes, vida ao ar livre, estilo de vida e alimentação consciente. 

Fonte: Madera21

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.